Notícia

Uberlândia leva senepol para o Sudão

PUBLICADO EM 14 de maio de 2013 Voltar
Imagem principal

Uma nova parceria internacional para transferência genética da raça bovina senepol foi firmada entre a fazenda Soledade, em Uberlândia, com o governo do Sudão. O país africano quer importar cerca de 5 mil doses de sêmen senepol, no valor de R$ 100 mil, para melhorar a pecuária local. Outras transações com o governo sudanês devem ser fechadas, nos próximos meses, como a venda de embriões.

Este é o terceiro negócio fechado entre a propriedade e um país da África. Em 2010, as exportações foram para o Congo e Gabão e, dessa vez, desperta o interesse do Sudão, que, segundo o gerente comercial da fazenda, vive uma epidemia da mosca do sono (tse-tse) que transmite uma doença degenerativa aos bovinos. “Por enquanto, eles querem material para cruzamento e se interessaram no senepol por ser um taurino muito resistente a parasitas”, afirmou Carlos Magno Júnior.

Mas as vantagens do senepol vão além da resistência a ectoparasitas. Segundo Ricardo Pereira, proprietário da fazenda Soledade, se comparado a um nelore, o abate do senepol é 50% mais rápido e a reprodução da raça é o dobro em um mesmo período de tempo, além de o valor de um reprodutor poder ser duas vezes maior. “A raça também é eficiente, precoce, dócil e fornece carnes mais macias e saudáveis” disse Carneiro.

Apesar das qualidades do senepol, ainda existem poucas criações desse gado no Brasil. Dos 200 milhões de bovinos criados no país, 20 mil são da raça senepol, o que representa 0,01% da pecuária brasileira. “Precisamos povoar o Brasil com senepol. É a solução de todos os problemas da pecuária hoje, tanto no manejo quanto na produtividade”, disse Carneiro.

 

Fazenda Soledade fechou negócio com Congo e Gabão

O proprietário da Fazenda Soledade, Ricardo Pereira Carneiro, recentemente, exportou 70 doadoras senepol.

 

A Fazenda Soledade, em Uberlândia, firmou outras parcerias internacionais envolvendo a raça senepol. Em 2010, uma comitiva do governo do Congo esteve na cidade para conhecer a raça e, na época, firmou um acordo para a compra de 4 mil doses de sêmen para inseminar em N’Damas, uma das raças-base do senepol. A outra é a inglesa Red Poll. Segundo o proprietário da Fazenda Soledade, Ricardo Pereira Carneiro, recentemente, eles também importaram 70 doadoras senepol.

Ainda em 2010, a Fazenda Soledade exportou 2 mil doses de sêmen para um produtor de palmas no Gabão, que decidiu investir na criação de senepol. Segundo Carneiro, o material genético também foi inseminado em N’Damas. “A utilização do senepol no N’Dama dá um ganho de 50%. O N’Dama é uma animal de pouco mais de 300 kg, com a inseminação do senepol chegou a 500 kg”, afirmou Carneiro.

 

 

FONTE: Jornal Correio (13 de maio de 2013)

Whatsapp