Notícia

Gado Senepol ganha evidência

PUBLICADO EM 15 de abril de 2009 Voltar
Imagem principal

Características que ampliam a produtividade — como a docilidade, fertilidade e a facilidade do manejo — fazem da raça Senepol a melhor opção para os pecuaristas que criam gado na região do Triângulo Mineiro. Quem defende esta posição é o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol (ABCBS), Ricardo Pereira Carneiro. Com sede em Uberlândia, a entidade realizou, no dia 7 de abril, reunião para consolidar o intercâmbio com a Senepol Cattle Breeders Association (SCBA), entidade norte-americana. O encontro também contou com teleconferência entre técnicos brasileiros presentes em Campo Grande (MS) e Uberlândia e norte-americanos, com debates sobre a avaliação genética. “Verificamos que existe a necessidade de padronização da raça e unificação da avaliação de performance. A padronização é uma forma de melhorar a genética, já que o Brasil é o país com animais de melhor qualidade”, disse Ricardo Carneiro.

Ele destaca, ainda, que o Triângulo Mineiro possui, dentro dos números de todo o País, o maior rebanho de Senepol, com aproximadamente 1,5 mil animais distribuídos em 22 criatórios. “O gado Senepol veio como uma solução para a pecuária moderna, pois é um animal precoce, rústico, de carne extremamente macia, e é o único taurino que, em uma estação de monta, chega a cobrir 50 vacas. É a melhor opção para o pecuarista que busca eficiência na produtividade e custo reduzido”, afirmou.

Ricardo disse, ainda, que a valorização do Senepol em leilão é outro indicativo do sucesso da raça. Em dois anos, a negociação de um animal subiu cerca de 189%, segundo dados do Anuário DBO 2009.

A ABCB existe há seis anos e, até 2006, apenas 23 produtores estavam vinculados à entidade. Hoje, a entidade agrega 57 pecuaristas em seu quadro de associados. Ricardo Carneiro disse que a procura por reprodutores da raça já compromete toda a produção até 2010. “Uma das vantagens é que o animal Senepol chega à condição de abate aos 24 de meses. Esta precocidade aumenta a produtividade, quando comparado com o período de engorda de animais de outras raças em uma mesma área, por exemplo.”

O pecuarista disse que, durante a próxima exposição agropecuária de Uberlândia, a associação demonstrará as características e vantagens da criação do Senepol. De acordo com Ricardo Carneiro, será uma oportunidade para comprovar o potencial da raça e para que os criadores possam adquirir animais para início de plantel.

Rusticidade favoreceu o crescimento da raça

Nos anos de 1800, bovinos da raça N’Dama foram importados do Senegal (oeste africano) para a ilha caribenha da Saint Croix, Ilhas Virgens. O N’Dama foi uma excelente alternativa não só por sua resistência ao calor, insetos, parasitas e doenças, mas também pela habilidade de sobrevivência em regiões pobres de pastagens.

Em 1918, foram introduzidas, ainda nas Ilhas Virgens, genéticas de Red Poll para o rebanho de N’Dama, do criador Henry Neltropp. Esta mescla fundou a base da raça Senepol. Em 1977, um pioneiro carregamento aéreo com 22 animais da raça Senepol foi levado aos EUA. Hoje, a Senepol Cattle Breeders Association (SCBA) conta com 500 criadores e mais de 60 mil animais em seu sistema de registro de dados.

Em 2000, os primeiros animais chegaram ao Brasil, importados dos EUA e das Ilhas Virgens. A importação inicial envolveu dois líderes genéticos da raça e as melhores fêmeas Senepol. Graças a este cruzamento, os selecionadores brasileiros multiplicaram a qualidade fazendo do Brasil um celeiro da genética mundial.

Principais características:

• Pelo zero

• Menor infestação de ectoparasita

• Caráter mocho

• Carne macia

• Produtividade

• Desmama mais pesada

• Fertilidade

• Padronização

• Um touro cobre 50 vacas

• Docilidade

• Precocidade

• Rendimento de carcaça

• Rusticidade

• Longevidade

• Facilidade de manejo

• Gordura subcutânea

• Habilidade materna

 

Valor médio do animal em leilões:

2006 – R$ 5.890

2007 – R$ 12.317

2008 – R$ 17.026

 

FONTE: Pablo Pacheco – Especial para o CORREIO | Jornal Correio de Uberlândia | Atualizada: 14/04/2009

Whatsapp